Liderança e Gestão para Igrejas na Pós-Modernidade

Liderança e gestão para igrejas na Pós-modernidade, desta vez, o teor do texto é o saber, mas “saber” é muito vago, saber é estar informado de algo e apenas isto. Contudo, existem três saberes que são fundamentais para o crescimento. Afinal, faremos uma interdisciplinaridade entre os saberes no âmbito pedagógico e iremos aplicá-los na área de liderança.

É necessário que os saberes sejam introprojetadas no líder e no liderado para que haja autonomia do indivíduo em sua perspectiva de liderança. Sendo assim a autonomia não contradiz a dependência da visão da igreja. Por sua vez o liderado deve tomar decisões de acordo com suas crenças e valores.  Só assim é despertado o potencial de outro liderado.

A liderança que desperta na equipe o potencial de competência em cada membro, uma liderança completa, no que tange as habilidades. Assim, a competência pode ser conceituada pela “habilidade de fazer algo bem” (CAMBRIGDE DICIONARY, 2019). Esse conceito pode ser parafraseado em habilidade de fazer com excelência.

Conjunto de Saberes que envolvem práticas de trabalho:

  • Saber (conhecimento);
  • Saber fazer (prática);
  • Saber ser (comportamentos, atitudes).

A liderança deve ter conhecimento (SABER) sobre o assunto ou o produto que trabalha, então, distingue os níveis de gravidade, urgência e tendência dos problemas relacionados à Corporação que colabora e atua. E ao mesmo tempo, delegar tarefas no intuito de incentivar os liderados. Ele não só delega, mas tem experiência no serviço (SABER FAZER), a tarefa ou trabalho. Igualmente, se posiciona como um modelo para todos, com atitudes e comportamentos genuinamente cristãos, tais como as mutualidades cristãs (SABER SER).

Os 4 verbos que expressam a liderança

Desta forma, segundo C.C. Cucci e M. Grassi (apud GUIMARÃES, p.30,2012) a liderança deve ser expressa por 4 verbos.Assim, é de suma importância para qualquer instituição:

  • Esquematizar: criar esquemas de trabalho, que se iguala a planejar ou planejamento das ações, antecipando aos liderados as etapas do processo a ser realizado, por decisões decorrentes de análises de problemas ou oportunidades (eficácia).
  • Organizar: avaliação de recursos necessários para os liderados, bem como a redistribuição e a auditoria deles, este conceito de organização está atrelado ao planejamento, já que, o ponto de auditoria também é uma verificação ou coleta de dados significativos PARAS formulação de novo planejamento ou plano de ação (Utilize as Fermentas Gerencias, clique aqui para saber mais).
  • Administrar: compartilha no cotidiano as ações que devem ser tomadas, assegurando-as por meio de ferramentas e treinamentos.
  • Inspecionar: avaliação e coleta de dados para que se evite problemas e se mantenha o produto ou serviço com o menor número possível de defeitos, no caso de uma igreja pode ter um POP ou Procedimento Operacional Padrão para as atividades relacionadas à liturgia ou andamento do culto ou reunião.

Escrito Por:

Eliseu Fernandes Gonçalves

Redator da Envisione Assessoria Contábil, é autor do livro A Bíblia e a Gestão de Excelência através das ferramentas da Qualidade Total.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá
Podemos te ajudar ?
Powered by