Como o Microempreendedor individual deve retirar o seu próprio salário

Pró Labore do MEI

Pró Labore do MEI

Mesmo no caso do Microempreendedor Individual (MEI), que é o único titular da organização, é necessário observar algumas regrinhas contábeis  que consistem em:  Separar o seu orçamento pessoal dos fluxos financeiros da empresa. Sim! São coisas diferentes! Assim o dinheiro que entra para a sua empresa não é seu. Porque mesmo sendo você o único dono e único funcionário. Certamente esta separação de controle financeiro se faz necessário. Consequentemente o MEI pode fazer retiradas relacionadas a pagamento pelo trabalho prestado no formato de pró-labore.

 

Como funcionam as regras de cálculo do pró-labore para o MEI

No caso do MEI o pró-labore não poderá ultrapassar o valor do salário mínimo. Devido ao recolhimento do INSS que se dá com o pagamento do DAS com vencimento até o dia 20 de cada mês. Neste documento consta o recolhimento das seguintes obrigações:

  1.  5% sobre o salário mínimo a título de recolhimento previdenciário = R$ 46,85;
  2.  R$ 1,00 referente ao ICMS, no caso de empresas do comércio;
  3.  R$ 5,00 referente ao ISS, no caso de empresas prestadora de serviços.

Vale dizer que o MEI não emite recibo de pró-labore, nem tem guia separada para o INSS. Sua contribuição previdenciária é descontada junto com o boleto de seu enquadramento fiscal no Simples Nacional.Outra forma de transferir os rendimento obtidos com o MEI para o empreendedor (pessoa física) é a distribuição de lucro que será isenta do IR, se:

  1. Apurada de forma presumida, cujo valor distribuído não ultrapasse a 8% (comércio ou indústria) ou a 32% (serviços) da receita bruta anual do MEI;
  2. O empresário mantiver escrituração contábil que evidencie lucro superior aos percentuais mencionados.

Tem mais alguma dúvida sobre Como o Microempreendedor individual deve retirar o seu próprio salário?  Fale com a gente agora mesmo!

Os comentários estão encerrados.

Olá
Podemos te ajudar ?
Powered by