Liderança na Igreja: Por onde começar?

A Influência na Liderança na Igreja: A maior habilidade de um líder é desenvolver habilidade extraordinária em pessoas comuns (Abraham Lincoln).

No mundo da Pós-Modernidade a figura de um líder de sucesso requer ter qualidades intrínsecas e aprendidas para que não seja comum. Assim sendo falaremos das qualidades intrínsecas e em outro artigo das qualidades aprendidas. Todos precisam aprender algo, até mesmo Jesus Cristo (Lc 2.52). Ser um líder extraordinário e estar acima da improdutividade. Dentre as várias correntes, estilos e tipos de liderança, a liderança extraordinária é aquela que faz além do necessário, um verdadeiro transformador do ambiente eclesiástico.

 

Características do Líder

As características de uma liderança é trabalhar sempre em coautoria com outros e despertando-lhes o potencial oculto ou adormecido, a coautoria é a melhor forma de colaboração, no processo de amadurecimento dos liderados, a presença de um líder que se coloca junto deles é fundamental para que estes alcancem o patamar desse líder. As qualidades de um líder extraordinário que é transformacional em si, e nos outros, deve ser inspiradora, agrega valores pessoais e acima de tudo mantém o caráter em qualquer situação, mantém a sua fidelidade à visão eclesiástica que recebeu e faz com outros entendam a visão e queiram segui-la também. Portanto é um articulador da visão da organização a que pertence. Outra caraterística muito visível é a de ser um modelo ou exemplo correspondente ante as pessoas que lhe cercam como um reflexo, ele expõe a fragilidade e os pontos nefrálgicos que precisam ser tratados.

 

Os Cuidados com os Liderados

Por falar nisso, o líder transformador não descarta pessoas, ele as trata para que sejam melhores e posteriormente sejam capazes de liderar outros grupos. A liderança extraordinária de Jesus, como liderança transformacional era um modelo de vida e fala, vivia o que falava e falava para que ele e outros vivessem em uma perspectiva do Reino de Deus.

 

A visão da Liderança e sua Influência na Igreja

O liderado Pedro, Simão Pedro filho de Jonas, tinha uma visão equivocada da organização de Jesus. Por isso, era levado por impulsos emotivos e não raciocinava antes de falar muitas das vezes, o líder transformacional diz que ele abandonaria a visão corporativa ou organizacional  e este insiste que não; mas no momento de confronto de interesses e medo pessoal, negará a Jesus Cristo por três vezes (Mc 14.30, 72). No entanto, um líder transformacional como Jesus não o deixaria perdido, o recupera, quando ressuscita dentre os mortos, manda um recado pelo anjo a toda a equipe apostólica e frisa bem, o nome deste liderado:

7 Mas agora vão, falem aos seus discípulos e a Pedro que ele está indo na frente de vocês para a Galileia. Lá vocês o verão, exatamente como ele lhes falou”. Posteriormente, refaz a cena da negação pela presença de alguns elementos sensitivos e visuais, tais como o frio e a fogueira.

 

Princípios e Valores

O líder transformacional age pelos princípios que tem e não pode abrir mãos destes. Sendo o maior princípio de Jesus, o amor, e com o mesmo restaura o liderado Pedro (Jo 21.15-17).

 

A importância do Propósito

O líder transformacional delega a partir de metas para que os incentive como pessoas e queiram transpor os obstáculos, não apenas por serem obstáculos, porém, por saberem a importância das metas e os resultados obtidos com elas para o crescimento pessoal ou eclesiástico no escopo que influência a Liderança na Igreja.

Artigo escrito Por: Eliseu Fernandes Gonçalves.

Autor do livro A Bíblia e a Gestão de Excelência através das ferramentas da Qualidade Total.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Open chat
Quer organizar a administração na sua Igreja?